Elvis 1956




segunda-feira, 6 de março de 2017

LIVRO ELVIS WHAT HAPPENED? PARTE 24




CONTINUAÇÃO DO LIVRO LIVRO ELVIS WHAT HAPPENED? CAPITULO 21



ELVIS O QUE ACONTECEU


É uma imagem assustadora e aterrorizante.
Ele está sentado em um tribunal vigiado
por policiais. Não há espaço para o público.
O tribunal está repleto de repórteres de
todas as partes do globo. O homem na
cabine do prisioneiro, é um cara magricela
e insignificante que nunca tinha feito uma
impressão no mundo até agora. E lá está ele
sorrindo e o sorriso dele diz: "Eu assassinei
Elvis Presley."
É uma visão que está sempre com Elvis. E
ele mesmo disse aos rapazes West, o que
deveria ser feito, se isso acontecer. "Olha, o
FBI e os policiais têm um trabalho a fazer.
Eles têm que prender o cara. Mas se algum
dia isso acontecer, eu quero que vocês
peguem ele primeiro. Eu quero que vocês
pegue ele antes dos policiais. E quando
vocês encontrá-lo, eu quero que vocês
arranque os olhos dele com os dedos. Eu
quero que vocês puxe a língua dele para
fora. Eu quero que vocês rasgue ele em
pedaços. Eu não quero nenhum filho da

puta sorrindo no tribunal dizendo que ele
matou Elvis Presley."
Se ele tinha uma paranóia injustificada no
passado sobre sua segurança pessoal
quando ele viveu em isolamento virtual
fazendo seus filmes, tudo mudou em
Agosto de 1969. Foi quando o medo
tornou-se justificado porque Presley era um
alvo constante de ameaças de morte e
extorsão. Em 1969 foi tomada a decisão de
que Presley iria se apresentar ao vivo diante
de uma platéia, sua primeira aparição em
nove anos. E foi então que Red e Sonny,
não seria mais dublês, substitutos e fiéis
membros da Máfia de Memphis, eles
tornaram-se guarda-costas de verdade.
Há várias razões possíveis para Presley
estar retonando a se apresentar ao vivo: O
ódio dos seus filmes, ele era esperado para
despejar fora como pipoca; uma verdadeira
necessidade de sentir as ondas de amor
vindo de pessoas reais; Coronel. Tom
Parker, percebeu que o "arco-íris de filmes
tinha entorpecido" e que o novo "pote de
ouro" foi encontrado nos concertos ao vivo.
Seja qual for a razão, o Coronel Parker
manteve sua reputação de programação

impecável e carisma porque a mudança na
engrenagem funcionou perfeitamente para
a conta bancária de Presley, mesmo que
isso tenha sido o início de um conjunto de
problemas pessoais.
O local escolhido para a apresentação de
Presley ao vivo, foi o Hotel Internacional, a
extravagância de sessenta milhões de
dólares, Isso teria parecido fora de lugar em
qualquer cidade, mas em Las Vegas. "Foi o
desafio que ele precisava", diz Red, e ele
realmente desejou isso. Havia muitas
dúvidas com a volta dele se apresentando
em shows ao vivo. Todo mundo estava se
perguntando se ele tinha perdido o seu
toque, e se ele poderia ainda conduzir um
show ao vivo, será que a multidão de Las
Vegas aprovaria ele? No fundo da mente de
todos, tinha a lembrança da primeira
apresentação dele em Las Vegas em 1956
no Hotel Frontier. O público de Las Vegas
simplesmente não estava pronto para ele.
Ele foi formidável para os adolescentes,
mas na época, a multidão era muito velha
para ele. Claro, o Coronel fez a grande
decisão e ele não estava errado.

Sonny lembra que Presley realmente estava
em forma, tanto no físico como
mentalmente para a sua estréia em Las
Vegas. "Barbra Streisand," tinha aberto a
sala de shows e Presley seguiu ela.
Streisand não foi um ato fácil de seguir. Ela
era muito conhecida, tanto que o público
apelava pela volta dela. Ela tinha acabado
de ganhar um "Oscar" e suas músicas
estavam nas paradas de sucesso do mundo.
Presley, apesar de seu nome, ele tinha se
afastado do show business por nove anos.
Grandes artistas tinham fracassado antes
em Las Vegas.
Não importa que tipo de show ele poderia
ter feito, no entanto, o lado financeiro foi
assegurado a partir do momento em que as
bilheterias foram abertas. Foi uma
avalanche. Não apenas de fãs da América.
Havia vôos fretados trazendo fãs da Grã-
Bretanha, Austrália, e Japão. Os fãs de
Elvis, apenas se recusaram a deixar a
estréia dele ser um fracasso E, claro, que
isso foi uma sensação.
Sonny lembra: "Cara, ele estava ótimo,
antes mesmo de se apresentar" Ele estava
nervoso, com certeza, mas ele tinha

ELVIS O QUE ACONTECEU?

Imagem relacionada

ensaiado e ensaiado. Ele estava magro
como se ele tivesse 21 anos de idade. Ele
parecia fantástico.
"As Sweet Inspirations", um quarteto de
negras com movimentos rápidos, aquecia o
público para ele, e a 'atmosfera' na sala de
show, com capacidade para "duas mil e
quinhentas pessoas' era difícil de descrever,
mas definitivamente havia eletricidade
saltando fora das paredes. Ele entrou no
palco cantando "Blue Suede Shoes", e
nenhuma das primeiras partes das músicas
poderia ser ouvida. Como uma massa, a
multidão saltou a seus pés e explodiu com
ensurdecedores aplausos. Parecia
estranhamente fora do normal para uma
sala de show. "Um estádio de beisebol, uma
arena de luta, o coliseu," era, sim os locais
certos e não uma sala de show dourada que
servia bifes mal passados e vinhos
franceses. O caso de amor continuou onde
ele havia parado.
As mulheres estavam um pouco mais
"robustas" e dançavam com os reflexos das
luzes nos "cabelos grisalhos." Os homens
eram mais gordos no "meio" e mais fino em
"cima", mas o caso de amor estava no auge

novamente. Ele continuou a paralisá-los
cantando as canções "I Got a Woman",
"Heartbreak Hotel", "Love Me Tender",
"Hound Dog", e "I Can not Stop Loving
You". Ele também cantou "Suspicious
Minds", uma das suas canções pessoal e
favorita de todos os tempos.
Elvis Presley nunca tinha sido esquecido,
na medida em que a multidão estava
envolvida. Ele simplesmente tinha se
preparando para esta noite. "Naquela noite,
diz Sonny, ele estava se apresentando com
sua energia natural, não com a energia de
alguma pílula maldita, mas o puro Elvis
Presley, em seu melhor estado "físico,
emocional e mental." Ele foi surgindo como
um novo instrumento. A cena após o show
permanece indelével na mente de Sonny.
foi uma das coisas mais emocionante que
eu já tinha visto acontecer entre dois
homens. o Coronel desceu depois do show
no camarim, ele apenas disse, "Onde ele
está?" O coronel, que era um homem de
idade, tinha lágrimas nos olhos, seu rosto
estava retorcido de emoção.
Eu nunca o tinha visto assim antes. Eu
estava com Joe Esposito e nós apontamos

para dentro do camarim. Elvis saiu. O
Coronel deu um passo para a frente e assim
também fez Elvis. "Não havia palavras."
Eles apenas colocaram os braços em torno
um do outro em um grande abraço. O
Coronel estava de costas para mim e eu
sabia que era uma coisa privada onde não
se deve ficar ao redor. Nós saimos e vimos o
corpo do Coronel se tremendo de emoção.
Eu Saí com um grande nó na garganta. Isso
foi um belo momento.
O coronel conseguiu um contrato de cinco
anos com o Hotel International. Eles
pagaram um preço impressionante para
ele, mas os donos do Hotel não
reclamaram, porque os shows de Presley,
era bilheteria garantida. "Ele fez um monte
de grandes shows em Las Vegas", diz
Sonny.
O desafio ficou com ele por mais de um
ano. Ele teve o seu "ponto alto" em Las
Vegas.Tanto ele como o Coronel, amava a
cidade e sua atmosfera. Este foi o "show
business" no seu melhor para ambos, eles
foram feitos para isso. Mas, como tudo
sempre foi igual com Presley, o desafio dele
se apresentar ao vivo tinha passado. E

então ele iria ficar lá em cima no palco e
cantar as "mesmas músicas," show após
show. O mesmo show foi ótimo quando ele
estava viajando em turnê pelo país, mas
não em Las Vegas. O Coronel insistiu com
ele para gravar novas canções. Mas, mesmo
quando ele o fez, ele não se preocupou em
aprender a cantar elas corretamente.
Sonny recorda: Houve momentos em que
ele tinha um cara chamado" Kenny Hicks"
deitado no chão do palco de "acrílico
transparente" do hotel em Las Vegas com
cartazes idiotas com palavras escritas das
canções.
"Houve até momentos", diz Red, que eu
ouvi ele anunciar ao público, que esta era
uma nova música que ele estava cantando,
e ele não sabia a letra da canção, então era
por isso que ele estava lendo a letra em um
papel. Eu fiquei espantado, o público se
levantou e o aplaudiu. Eu também fiquei
espantado que isso nunca foi parar nos
jornais. Mas ele só iria chegar lá em cima e
ler a letra de uma canção. Isso pelo menos
foi alguma coisa. Ele estava ficando
entediado de novo e quando ele ficava
entediado, foi quando ele ficava

insuportável no palco. Ele estaria tomando
todas as suas "pílulas" e ficava "ligado" o
tempo todo, e ele queria que nós também
tomassemos essas pílulas e nós não
teriamos mais do que três horas de sono em
três dias.
Para dar a Presley o que é devido, as
pressões sobre ele começou a subir. Com a
sua exposição pública, então veio a
cachoeira de cartas de malucos. Um monte
delas foram descartadas com divagações de
pessoas que só queria escrever "palavras
ameaçadoras." Outro monte delas não era
de ameaças. "Nós tentamos manter a maior
parte delas longe de Elvis, diz Red, mas
havia um monte de ameaças sérias
acontecendo que ele tinha que saber.
"Uma ameaça foi grave o suficiente para o
FBI se envolver." Sonny e Jerry Schilling
estavam trabalhando no show dele em
1970, quando uma chamada veio de um
homem que tinha tomado o tempo e a
dificuldade de saber como passar a sua
mensagem. Isso foi uma uma tentativa de
extorsão, a chamada dizia que havia um
maluco que tinha a intenção de matar
Presley, por "cinquenta mil dólares." Ele

daria o nome do cara para Presley. Red
estava em Memphis no momento e Presley
fez uma chamada de emergência para ele
chegar em Las Vegas imediatamente. "Eu
cheguei lá", diz Red, e Elvis só cambaleou
nos meus braços e me abraçou. Não havia
dúvida de que ele estava levando isso muito
a sério. E nós também.
E assim foi para o "FBI" o cardápio do
hotel, que tinha sido entregue pelo correio
dirigido a Presley. O cardápio era da
apresentação dele em Las Vegas e tinha
uma foto de Presley na frente. Alguém
havia rabiscado a foto e desenhou uma
arma apontada para o coração dele na parte
inferior do cardápio, cuidadosamente
escrito na parte de trás, estava as palavras
"Adivinha quem, e onde?" O FBI testou as
impressões digitais, mas não encontrou
nada; eles estavam convencidos de que era
o trabalho de uma mente doentia.
Não deu em nada ", diz Red", mas esse foi o
compromisso que tivemos, Sonny, Jerry
Schilling e os Músicos, estavam alertas com
suas armas prontas. Eu estava cruzando o
público, assim como os guardas de
segurança do hotel e os homens do FBI a

paisana. Como por uma questão de fato,
um cara "muito suspeito" que estava me
incomodada acabou por ser um policial
disfarçado.
Outra vez, em 1972, quando Presley estava
no meio do ato, uma dica veio do maitre
que tinha dito a Joe Esposito, que ninguém
tinha pensado que poderia ter uma "mulher
enlouquecida" na platéia com uma arma
apontada para atirar em Presley.
Sonny recorda: "Quando recebemos a
mensagem," Red e Eu ficamos na frente do
palco como um "bloqueio" na frente de
Elvis. "Elvis, caminhou para a parte de trás
do palco e cantou em uma posição de lado,
para tornar-se um alvo menor." Como o
show aproximou-se do final, Sonny e Red
caminharam juntos quase cobrindo Presley
da vista dos fãs. Red diz que até o momento
que a cortina desceu, eles estavam bem na
frente dele para o caso de vim uma "bala",
ela teria que bater neles em primeiro lugar.
"Droga." Sonny lembra, "essa cortina levou
cerca de vinte segundos para descer, mas
parecia que tinha sido uma hora." Red
acrescenta: "Cara", eu sei que eu estava


ELVIS O QUE ACONTECEU?

Imagem relacionada


tremendo, eu estava pronto para ouvir o
disparo de uma arma e sentir uma bala
maldita indo direto para o meu coração. "E
eu estava pensando em minha esposa e
filhos, eu estava com medo...."
Por esta altura, Presley estava pagando a
Red e Sonny "425 dólares por semana", e
hoje ambos, sente que foram um pouco
estúpidos, quando eles admitem que eles
estavam dispostos a levar uma bala por
isso. "Se alguém queria machucá-lo," Dave
Hebler, diz. "Eles teriam que nos matar
primeiro para chegar até ele." Essa foi a
nossa relação."
Os rapazes West, lembram que Presley, em
vez de demonstrar verdadeira gratidão por
eles terem a boa vontade de tomar uma
bala, ele, poderia se vangloriar para qualquer
um que quisesse ouvir e dizer: "Se um cara
se levanta com uma faca, eles tomam a faca
para mim. Se for uma arma, eles levam a
bala por mim, isso é o tipo de lealdade que
eu posso ter ".
Enquanto algumas coisas "cabeludas e
assustadoras estavam acontecendo," no
entanto Presley e os rapazes West, não

tinham perdido o seu diabólico e talvez um
pouco selvagem, senso de humor.
Red, solta uma risada alta, quando lembra
disso, "havia um grupo que se juntou a
Elvis." diz ele, chamado "J. D. Sumner and
the Stamps Quartet". Era um grupo gospel
muito bom liderado por "J. D. Sumner",
que era conhecido por ter uma das vozes
mais graves do mundo. Enfim, isso foi em
1972, quando estamos recebendo um
monte dessas ameaças, e eles estavam
muito nervosos com isso. Para quebrar a
"monotonia" e se divertir um pouco, Elvis,
Sonny e Eu, decidimos fazer uma pequena
brincadeira."
"A brincadeira," foi dizer para "J. D.
Sumner" e seu grupo que havia um "louco
no hotel com uma arma, tentando matar
Presley." Para que a bincadeira "ficasse
perfeita," Elvis, Sonny e Red, recrutaram
três dos seguranças do hotel para ficar lá
com eles.
"Decidimos", diz, Red, pegar uma arma
descarregada, e inventar uma falsa briga
com o assassino. "O assassino estava
escondido," claro, porque ele era

interpretado por "Sonny." Sonny e eu
carregamos nossas armas vazias, e os
guardas de segurança esvaziaram as armas
deles, que, como se viu, foi uma boa idéia
para um motivo que vai se tornar óbvio.
Então eu alertei "J. D. e seus rapazes do
grupo gospel," sobre o que estava
acontecendo... e digo-lhes muito
"fervorosamente" que é para eles ter muito
cuidado, pois tinha um "louco" à solta. Bem
nós estamos na suíte de Elvis, e "J. D." está
olhando para todas as portas, e seus
rapazes estão muito nervosos com o que
está acontecendo." Sonny, saiu da suite
com a desculpa de que ele ia olhar o resto
do hotel. Ficaram na suíte: "J. D. Sumner, e
os rapazes do grupo dele, os dois guardas
de segurança estavam falando com Presley
perto do bar.
"Eu saio pela porta da frente," diz Sonny,
"visto uma jaqueta preta de couro de
porco," e depois volto com minha arma
carregada com "balas de festim" entro pela
porta dos fundos da suite, enquanto a
multidão lá dentro, estava falando sobre
este louco.

Então o braço preto e sinistro de Sonny
aparece em um canto da sala e ele grita:
"Seu filho da puta!" E ele começa a
atirar..."bang, bang, bang!" .. Red, corre
para a entrada da suite de arma em punho.
e depois grita "Oh!" .. Ele cambaleia de
volta para a suíte "morto" .. A próxima
saraivada de tiros "atinge" os seguranças
que também estavam na brincadeira. Eles
são todos "mortos" e é um "massacre."
O "pânico e o terror" toma conta de "J. D."
e seu grupo. "Donny Sumner", em dois
passos gigantes, o sobrinho de "JD" correu
de um lado da suite para outro e saltou por
cima do bar que estava repleto de copos de
vidro. "J.D Sumner", bravamente se jogou
do outro de Presley, "Ed Enoch", genro de
JD " se escondeu atrá do piano e gritou:
"Dê-me uma arma, dê-me uma arma." "Bill
Baize," um membro muito religioso do
grupo, se jogou debaixo de uma mesa e
recitou cada oração que ele conhecia.
Eu, "o assassino," então, voltei atrás pela
cozinha, perto do bar, diz Sonny. As armas
tinham caído silênciosas. "JD" então se
levanta lentamente,da mesm forma fez
Presley. Assim como a cabeça de "JD"

ELVIS O QUE ACONTECEU?

apareçe um pouco acima do bar, Sonny
dispara novamente.
Eu atirei como se eu estivesse atirando na
cabeça dele a cerca de dez ou doze pés de
distância, e a tábua do bar bate na cabeça
dele. "J. D." gritou: "Maldição." "o que é
compreensível, mesmo para um cantor
gospel, "Donny Sumner," que estava por
trás do bar, vê a mão coberta com o casaco
de pele de porco de Sonny, surgindo em um
canto, embora ele não possa ver seu rosto.
Em uma atitude desesperada, ele se move e
pega uma lata grande de suco de tomate,
agarra a mão de Sonny, e lança isso como
se fosse um míssil esperando atingir o
assassino.
"A mão dele escorregou da minha, e eu cai
contra a parede", de acordo com Sonny,
que depois se virou rapidamente
apontando a arma para "Donny Sumner,"
dizendo: "Você é um filho da puta morto."
Donny disse chocado. "Sonny, oh meu
Deus." Ele pensou que Sonny tinha virado
um assassino. Ed Enoch, nesse momento
tinha se aproximado de um dos ''mortos" e
quando foi puxar o gatilho do révolver do

morto, ele produziu nada além de "cliques
maçantes." Donny Sumner estava caído no
chão, próximo de um desmaio.
O tempo todo, Presley estava rindo
convulsivamente com tudo isso. "J. D.
Sumner," tinha sentido isso quando ele
estava deitado por cima dele, ele pensou
que Presley estava rindo em uma convulsão
de medo.
"Isso praticamente acabou ali", diz Sonny,
mas todos nós pensamos que"Donny
Sumner" estava fora disso. Passou um
longo tempo antes que o sangue começou a
circular no rosto dele. "Tivemos que
acordá-lo com uma bebida," A noite
terminou em um tumulto de alegria, como
a história foi recontada. Todos
concordaram que "JD e seus rapazes,"
tinham um desempenho admirável sob
fogo cerrado. Naquela noite, Sonny e Red
poderiam ganhado um Oscar.
Enquanto os guarda-costas da Máfia de
Memphis, sempre foram sensíveis as
ameaças de morte e a segurança de seu
chefe, o público dos concertos em Las
Vegas e particularmente os das turnês,

foram outra fonte de preocupação.Temia-se
que alguém na platéia poderia ser morto.
Red West, desde os primeiros dias na
estrada com Presley, estava acostumado
com a histeria dos fãs. Mas depois do
retorno de Presley, foi ainda mais terrível.
"Eu juro," diz Red, "Eu não sei como
alguém nunca morreu em algum desses
shows." Tinha muitas pessoas machucadas,
mas foi um milagre ninguém ter morrido.
Dave Hebler, é apenas incrédulo.
Sonny relata: "As pessoas nessas multidões
não são mais pessoas, ela se tornam
animais." Eles são homens comuns e
honestos, e elas são donas de casa e outras
coisas mais, e mesmo assim, quando eles
entram naquela multidão para assistir Elvis
cantar lá em cima, eles se tornam
selvagens, animais selvagens.
"Dave Hebler, quando ele começou, sabia
que o trabalho de segurança seria difícil".
Não é uma questão de levar um cara para
sair. Qualquer idiota pode fazer isso. Você
tem que usar a força mínima para manter
as coisas calmas sem deixar qualquer louco
se levantar e ferir o Elvis. Quando eu
comecei, fiquei espantado ao ver senhoras

respeitáveis crescidas Tirar suas
"calcinhas" em uma sala de show de classe
como o Hotel internacional em Las Vegas,
tirar suas calcinhas. Mostrar tudo acena e
então joga no palco. De qualquer forma
você olha para isso, e acha muito nojento
para uma mulher adulta se comportar
dessa maneira, mas Elvis consegue fazer
isso com elas. Ninguém é uma planta,
muitas mulheres na platéia fazem isso por
publicidade. Isso acontece. Mas isso
também acontecia em muitas cidades onde
ele se apresentava, em centros de
convenções e auditórios que tinha
capacidade para dez ou doze mil pessoas,
foi então que os problemas realmente
começaram.
Dave relata uma situação que uma vez ficou
fora de controle no "Omni Salão" em
Atlanta, Georgia. "Nas instalações de um
Anfiteatro." Tinha um palco erguido cerca
de dez pés do chão." Mas dois pés longe do
palco, tinha uma fila de assentos que se
inclinam para cima. Há uma queda de dez
pés sobre um piso de concreto entre o palco
e onde os assentos começam. Bem, Elvis
atingiu a parte alta do seu ato, quando ele

ELVIS O QUE ACONTECEU?

Imagem relacionada

jogou para o público cerca de cinquenta
lenços. Eu olho para a platéia e eu só fico
frio. A multidão enlouquecida estava
correndo para o palco. Os policiais em
Atlanta foram importantes, mas eles não
podiam parar esta multidão. mas o pior de
tudo era o lugar onde eu estava na beira do
palco tentando impedir as pessoas saltando
por cima do corrimão e pulando para
chegar no palco, porque se eles tivessem
subido, eles teriam caido todos diretamente
no chão de concreto. é claro que isso é o
que aconteceu. em primeiro lugar esta
menina deu um salto correndo por baixo
das escadas, perto do corrimão.
Há dezenas de pessoas esmagadas contra a
grade e eu estou apavorado, uma criança
vai ficar esmagada até a morte. Eu não sei
como isso aconteceu, a tragédia nunca
tinha sido tão grande, e isso foi apenas um
rápido trabalho da polícia, de Red, Eu e
Sonny que conseguimos evitar uma
tragédia maior. Mas nessa noite, essa
menina vem correndo sobre o corrimão. Eu
estou segurando-a com um braço e um
policial está chegando para impedi-la de
subir no palco. Eventualmente, ele perde o

equilíbrio segurando ela e ambos caem com
um barulho abafado no chão de croncreto.
Em seguida vem outra garota, e ela também
cai. Deus, isso foi nauseante. No final, três
garotas cairam lá. Os policiais e as garotas
foram socorridos.
Enquanto isso, do outro lado, um lenço
vibra ao redor do pescoço de uma garota.
Red recorda: "O lenço estava enrolado em
volta do pescoço dela," e uma dupla de fãs
maníacas agarrou ambas as extremidades
do lenço. Bem, elas não parava de puxá-lo,
e esta garota estava sufocando até a morte,
e as filhas da puta não soltava o lenço. Eu vi
que esta garota estava sufocando. Ela
estava morrendo, cara. Eu tenho que ir lá e
não havia esperança de tentar lutar com
elas. Estas duas mulheres que estavam
puxando em cada extremidade do lenço
tinha um aperto de morte. Eu puxei uma
faca e cortei antes que fosse tarde demais.
Em seguida, as mulheres estavam brigando
pelos pedaços do lenço. Isso foi assustador.
Em "Hampton Roads, Virgínia," Red
lembra que a multidão cercou
completamente trinta policiais. "Esses
policiais estavam ficando gravemente feridos."


CONTINUA,,,,,,,


créditos e agradecimentos para a amiga Roseane maria silva pela valorosa ajuda com as traduções o blog Elvis The Man agradece














 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário